Pesquisa Avançada

Notícias

Curso para magistrados sobre funcionalidades da versão 2.x do PJe

A Escola Judicial comunica aos magistrados do TRT10 que atuam no Distrito Federal que a Turma 12 do Curso As Funcionalidades da Versão 2.X (KZ) do Sistema Processo Judicial Eletrônico - PJe”  será realizada nesta sexta-feira, 24 de maio, no horário das 10h às 12h no Laboratório do Foro Trabalhista de Brasília.

 

Confira o Plano de Curso

GAS 2019

Os agentes de segurança do TRT10, inscritos na primeira Turma do Programa  de Reciclagem  Anual para Agentes de Segurança 2019, que será realizado no período de 4 a 7 de junho,  têm até o próximo dia 24 de maio, sexta-feira, para a entrega dos exames ao Núcleo de Saúde.

O treinamento tem carga horária de 30 h/a de conteúdo programático e mais 4 h/a de testes de condicionamento físico.

A grade horária completa e os locais de treinamento, bem como demais orientações para os participantes  estão disponíveis no Plano de Curso no Portal da Escola Judicial.

A abertura do curso, no dia 4, será realizada às 8h30, no Prédio da EJUD10, Asa Norte, com a participação da Presidência do TRT10, da Diretoria da EJUD10 e da Chefia da Seção de Segurança Institucional.

Clique aqui para imprimir o Plano de Curso

Curso sobre Boas Práticas na Execução Trabalhista - EAD

A Escola Judicial promoverá no período de 29 de maio a 12 de julho, na modalidade a distância, o Curso de Formação Continuada sobre Boas Práticas na Execução Trabalhista para magistrados e servidores do TRT10.

O curso objetiva capacitar os participantes a identificar propostas de boas práticas na Execução Trabalhista, para apoiar o trabalho dos Magistrados no cotidiano da fase de execução do processo, tendo por objetivo a efetividade da Jurisdição.

São 30 h/a válidas para Adicional de Qualificação e Promoção e serão abordados temas como indisponibilidade de bens, desconsideração da personalidade jurídica de ofício, execução contra espólio, dispensa de caução e licitude, entre outros, conforme Plano de Curso abaixo.

A tutoria do curso ficará a cargo da Juíza Ana Beatriz do Amaral Cid Ornelas, do TRT10.

A participação de estagiários e terceirizados que prestam serviços no TRT  da 10.ª Região somente será possível no caso de haver vagas disponíveis.

Estão sendo ofertadas 40 vagas e as inscrições podem ser feitas no Portal da EJUD10, no link  https://escolajudicial.trt10.jus.br/index.php/eventos/meus-eventos.html até o dia 27 de maio.

Confira o Plano de Curso

EJUD10 abre vagas para participação no 59º Congresso da LTr

A Escola Judicial do TRT-10ª Região oferece seis (6) vagas para magistrados (Juízes e Desembargadores do Trabalho) e três (3) vagas para servidores para participarem do 59º Congresso Brasileiro de Direito do Trabalho da  Ltr, que ocorrerá em São Paulo, no período de 17 a 19 de junho.

Nesta edição, serão abordados no congresso temas como Direito Digital, Futuro do Direito do Trabalho e as soluções dos conflitos saúde no ambiente do trabalho, entre outros.

A Escola Judicial custeará  as despesas relativas à inscrição no evento e diárias dos selecionados e, em virtude dos cortes orçamentários, não serão custeadas as despesas com deslocamento (aéreo/terrestre).

Magistrados

Os magistrados interessados em participar devem registrar a manifestação exclusivamente nos autos do Processo Administrativo SEI n.º 0004774-67.2019.5.10.8000, impreterivelmente, até às 18h do dia 21 de maio de 2019.

Caso haja mais inscritos que o número de vagas oferecidas por esta Escola Judicial, nos termos do art. 10 da Resolução Administrativa nº 3/2018, será dada preferência, na seguinte ordem, ao magistrado que":
I - ainda não tenha usufruído da participação em evento externo custeado pela Escola Judicial, nos últimos 2 (dois) anos;
II - tenha pelo menos um artigo publicado na Revista do TRT 10, em suas 3 (três) últimas edições;
III - tenha atuado como instrutor interno da Escola Judicial nos 12 (doze) últimos meses;
IV – preceda na ordem de antiguidade.


Servidores

As vagas para servidores são limitadas àqueles que exercem atribuições relacionadas à função judicante, nas atividades de assessoramento ou de assistência judiciária, e serão preenchidas mediante processo seletivo, segundo os critérios dispostos no Anexo da Portaria PRE-DGA n.º 55/2009, com as modificações introduzidas pela Portaria PRE-DGA n.º 19/2011. As inscrições estarão abertas no período de 20 a 22 de maio de 2019. O resultado provisório será divulgado no dia 27 de maio. Recursos podem ser interpostos no período de 28 de maio a 3 de junho e a homologação do resultado ocorre em 6 de junho de 2019.

Os servidores interessados devem preencher por completo o formulário “Participação em Evento Externo”, assiná-lo e submetê-lo a chefia imediata para assinatura e anexá-lo ao  Processo Administrativo SEI n.º 0004780-74.2019.5.10.8000 e  encaminhar o referido processo à SEEJUD.

Confira a programação completa e o Edital Escola Judicial nº 2/2019 nos links abaixo.

Programação

Edital Escola Judicial 02/2019

Painel de reflexões sobre uso das redes sociais encerra Encontro Institucional dos Magistrados de 2019

 O Encontro Institucional dos Magistrados da Décima Região de 2019 terminou na tarde desta sexta-feira (10) com o painel sobre as reflexões acerca do uso das redes sociais pelos magistrados, com a participação do jornalista do Grupo Globo, Heraldo Pereira, a professora da UnB, Ana de Oliveira Frazão, e o diretor-executivo do Instituto de Tecnologia e Sociedade do Rio, Fabro Steibel. A mediação ficou a cargo da diretora da Escola Judicial do TRT-10, desembargadora Flávia Falcão.

O primeiro a falar foi Fabro Steibel, que conduziu palestras e workshops durante a manhã e o início da tarde com os participantes do Encontro. O especialista fez um breve balanço das atividades dinâmicas desenvolvidas em grupo com os magistrados. Ele listou e mencionou algumas das propostas de boas práticas que poderão futuramente embasar uma orientação geral para juízes e desembargadores do regional na utilização de suas redes.

Na sequência, a professora da Universidade de Brasília, Ana de Oliveira Frazão, falou sobre as principais implicações do uso das redes sociais pelos integrantes da magistratura. "O Judiciário requer um cuidado maior do que os demais Poderes na internet. Houve e ainda há uma dificuldade de entender como usar o espaço das redes sociais. Quantos desastres temos acompanhado?", observou. Segundo a especialista, as redes hoje ajudam na formação de "bolhas" e, ao contrário do que se possa imaginar, "não são um termômetro do mundo", disse.

Ana Frazão frisou que, para o juiz, saber como atuar nas redes é uma dificuldade maior do que para qualquer outra pessoa. "Antes de tudo, o juiz é um cidadão, um ser humano que interage na vida privada e pública. O problema é que na internet esses papéis se confundem", lembrou a professora. "Hoje tudo que se sabe ao nosso respeito pode ser usado para nos manipular, inclusive, no âmbito político. Informação é uma das maiores fontes de poder", sublinhou.

De acordo com a especialista da UnB, o índice de confiança no Judiciário é muito baixo. "A sociedade dificilmente pode julgar um juiz pela qualidade das decisões. A sociedade não entende a linguagem para poder entrar nesse debate. Eles se baseiam em outras informações sobre o juiz para formular uma opinião. Portanto, o excesso de informação ajuda a sociedade a categorizar os juízes. Esse é um grande problema", pontuou.

Em seguida foi a vez do advogado e jornalista Heraldo Pereira propor algumas reflexões sobre tema, do ponto de vista da imprensa e da opinião pública, aos participantes do Encontro Institucional. "Hoje todos nós fazemos comunicação em grande quantidade e somos especialistas em tudo. Com isso, padece o Direito. Porque o Direito tem códigos e um linguajar muito próprios", indicou.

Na opinião do jornalista, a comunicação profissional passa atualmente por uma mudança de paradigma. Heraldo ressaltou que os profissionais de imprensa gostam da presença de magistrados nas redes, porque ela proporciona facilidade de acesso, porém, existem juízes e até membros do Ministério Público que atuam "demais" nesses espaços.
Adoramos quando vemos vocês nas redes. Porque nós conseguimos acessar mais facilmente. Existem magistrados e membros do MP que atuam muito nas redes sociais.

Fonte: NUCOM (Bianca Nascimento)

EJUD10 promove curso de formação de instrutores

A Escola Judicial do TRT10 promove nos dias 21 e 22 de maio, das 8h30 às 18h, o Curso Formação de Formadores - Instrutores Internos para servidores e magistrados do TRT10 que já atuam ou pretendem atuar como Instrutores Internos no TRT10.

O objetivo é formar e aperfeiçoar instrutores internos do TRT da 10.ª Região. O curso, com carga horária de 16h/a válidas para AQ e Promoção contemplará temas como a importância e qualificação do formador-instrutor, os objetivos e demandas do Projeto Político Pedagógico da EJUD10, andragogia e metodologias ativas e desenvolvimento, aplicação e avaliação do Projeto de T&D, entre outros, conforme o Plano de Curso.

A instrutora será a psicóloga Rosângela de Carvalho, convidada da Fundação Getúlio Vargas / CADEMP, em nível nacional, em programas voltados às áreas de Recursos Humanos, Gestão e Desenvolvimento de Pessoas e Gestão Estratégica de Pessoas. Sócia-Diretora da Efficacia – Assessoria em Gestão Empresarial.

A EJUD10 destaca que, em virtude dos cortes orçamentários, não custeará diárias e passagens para os participantes do Tocantins.

O curso será realizado na Sala de Treinamento do Prédio da EJUD10, SGAN 916 Norte.

As inscrições já estão abertas no Portal da EJUD10, no link https://escolajudicial.trt10.jus.br/index.php/eventos/meus-eventos.html até o dia 16 de maio.

Confira o Plano de Curso

Encontro Institucional: Especialista fala sobre impacto das redes sociais na vida dos magistrados

Fabro Steibel, colunista do jornal gaúcho Zero Hora e diretor-executivo do Instituto de Tecnologia e Sociedade do Rio, abriu a manhã de atividades do último dia do Encontro Institucional de Magistrados da Décima Região, nesta sexta-feira (10). O especialista falou sobre o impacto das redes sociais na vida dos magistrados no evento promovido pela Escola Judicial do TRT-10.

No início da apresentação, o palestrante mencionou alguns dados sobre o comportamento de integrantes do Judiciário nas redes sociais para sensibilizar os participantes. De acordo com o estudo, 85% dos magistrados utilizam redes sociais e 74% alegam não ter recebido formação para o uso adequado dessas mídias. Mais de 70% deles acreditam que um juiz pode se identificar como juiz nesses espaços virtuais.

"A gente precisa entender a tecnologia para poder saber usar", disse Fabro Steibel. Para aprofundar a questão, o especialista comparou a presença de integrantes dos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário nas redes sociais. Segundo ele, cada dia mais a atuação de políticos e parlamentares é orientada pelas interações virtuais. O Judiciário é o menos permeado pelas redes sociais. "O like não é combustível de tomada de decisão do magistrado. O compartilhar não é a razão da atuação do juiz", observou.

Outro componente importante para entender o impacto das redes na vida de personalidades públicas é o fenômeno da personalização da política, que no Reino Unido foi protagonizado pelo ex-primeiro ministro Tony Blair. Antes dele, a política do país era historicamente e tradicionalmente liderada por partidos e não por pessoas. "Blair foi o primeiro a se sobrepor aos partidos, o que tornou a fronteira do que é da pessoa e do que é público muito tênue", destacou Fabro.

Sob essa perspectiva, o especialista lembrou que há algum tempo atrás a maior parte das pessoas imaginavam o Judiciário como uma estátua de uma mulher vendada com uma balança na mão. "Quando o juiz está nas redes, o judiciário ganha personalidade física", frisou o palestrante. Por outro lado, se não há magistrados nas redes sociais, só ficam os haters (pessoas que disseminam discursos de ódio) e os desinformados. "Não estar na rede, é deixar que alguém fale por você", alertou.

O especialista tratou ainda do poder dos algoritmos e das inteligências artificiais, do poder dos influenciadores digitais, da mudança nos hábitos de consumo de informação e notícias, bem como dos riscos das fake news e da indústria de bots - que são perfis falsos criados com a finalidade de impulsionar ou destruir reputações na internet. Ao final da palestra, Fabro Steibel ressaltou a importância de fazer uma "higiene digital", com a adoção de práticas que favorecem a proteção da privacidade nas redes.

Depois do intervalo, ainda pela manhã, os participantes foram divididos em grupos para discutir algumas questões que surgem da presença dos magistrados nas redes. No período da tarde, o palestrante conduzirá o workshop sobre boas práticas do Poder Judiciário nas redes sociais. O encerramento do evento será às 16h com um painel sobre reflexões do uso das mídias socias pelos magistrados, que será apresentado pela professora Ana de Oliveira Frazão e pelo jornalista do Grupo Globo, Heraldo Pereira de Carvalho.

Fonte: NUCOM (Bianca Nascimento)

Segundo dia do Encontro Institucional termina com palestra e workshop sobre relações e responsabilidade

O segundo dia de atividades do Encontro Institucional de Magistrados da Décima Região, nesta quinta-feira (9), terminou com palestra e workshop sobre o tema: minhas relações, minha responsabilidade, que abordou, entre outras coisas, discussões centradas nos principais dilemas e desafios enfrentados no processo de gestão. O evento é promovido pela Escola Judicial do TRT-10 e se encerra nesta sexta-feira (10).

A palestra foi conduzida pela professora da Universidade Federal do Paraná, Lis Andrea Soboll. Magistrados e servidores participantes do evento estavam divididos em mesas redondas e temáticas. Para introduzir as dinâmicas do workshop, em sua apresentação, a especialista propôs algumas reflexões sobre o exercício profissional de quem está atuando na Justiça do Trabalho. Segundo ela, por exemplo, “o bom juiz ou um diretor que é responsável vai buscar ajuda” para executar tarefas.

Lis Soboll lembrou a importância da capacitação e também do trabalho em parceria. Para ela, o isolamento e a falta de empatia no ambiente profissional, assim como a dificuldade de disseminar boas práticas, estão entre os principais problemas enfrentados pelo indivíduo que não pratica a divisão de tarefas e não cultiva boas relações no trabalho. Sobre isso, alertou: “É urgente que haja algum tipo de transformação, senão continuará havendo adoecimento”.

Gestão por cooperação

O trabalho, de acordo com a palestrante, é lugar de reconhecimento e espaço para exercício da criatividade. “O trabalho é central na vida humana”. A especialista ainda forneceu algumas dicas de gestão: “amplie o olhar para identificar os problemas; cultive a confiança por meio da escuta coletiva dos trabalhadores; busque o potencial das pessoas que estão contigo”, pontuou Soboll. Os problemas, no entendimento da especialista, precisam ser tratados em espaços de deliberação para que seja possível buscar soluções. “É necessário mudar o jeito de fazer reunião, de fazer diálogo”, ressaltou.

Após a palestra, os participantes foram conduzidos para a realização de uma dinâmica de conversa orientada, em diálogos circulares, a partir de desafios listados pelos grupos formados no workshop do primeiro dia do Encontro Institucional. Nesta sexta-feira (10), último dia do evento, serão realizadas palestras e workshops sobre temas como: “O impacto das redes sociais na vida dos magistrados”, “Em busca das boas práticas do Poder Judiciário nas redes sociais”, e um painel de encerramento com a professora Ana Frazão e o jornalista Heraldo Pereira sobre “Reflexões sobre o uso das mídias sociais pelos magistrados”.

Fonte: NUCOM (Bianca Nascimento)

Especialista fala sobre crise nas relações em palestra do Encontro Institucional de Magistrados

A professora da Universidade Federal do Paraná, Lis Andrea Soboll, abriu as atividades da tarde do primeiro dia do Encontro Institucional de Magistrados da Décima Região, organizado pela Escola Judicial do TRT-10, que começou nesta quarta-feira (8) e vai até sexta-feira (10). Na palestra, a especialista abordou o tema: “O olhar do outro: a crise nas relações no trabalho e na vida”.

Em sua apresentação, Lis Soboll falou sobre as dimensões que permeiam atualmente a vida do ser humano, que são transcendência, coletivo e família. Para ela, as relações pessoais e virtuais forjadas pela tecnologia do mundo contemporâneo se estabelecem a partir do conceito do “homo-deus”, ou seja, em que homens e mulheres concentram esforços em satisfazerem suas próprias necessidades e desejos, sem olhar para o outro.

“Nós precisamos nos aproximar como seres humanos para encontrar sentido naquilo que a gente faz. O outro é essencial para o enfrentamento dos problemas da vida. Olhar para as relações é olhar também para si mesmo”, explicou a professora. Além do conceito de “homo-deus”, Lis Soboll mencionou ainda o discurso de que os seres humanos possuem direito de buscar a felicidade a todo custo, e a ideologia de que é preciso ser bem-sucedido e excelente em todas as áreas da vida.

Segundo a palestrante, o trabalho tem uma dimensão essencial para a vida das pessoas, pela capacidade de exercício da criatividade e das relações. Sob esse aspecto, o conceito de “homo-deus” é em si uma contradição, ao colocar o indivíduo como independente de tudo, quando ao mesmo tempo ele fica solitário, porque precisa do olhar do outro para ter o endosso do sucesso na carreira, no consumo e nas relações sociais. “Não sem razão, vivemos a Era do Vazio”, observou a especialista, em referência a definição dos tempos atuais cunhada pelo filósofo polonês Zygmunt Bauman.

“As nossas relações precisam ser reinventadas”, pontuou Lis Soboll. Principalmente, de acordo com ela, no que diz respeito ao uso das redes sociais. Sobre isso, a professora propôs a seguinte reflexão: “Em que medida magistrados podem usar os recursos da tecnologia e das redes virtuais?”, questionou. A especialista frisou a importância de se observar uma presença responsável nas redes virtuais de relacionamento. “Liberdade de expressão conversa com responsabilidade de expressão, que é a capacidade de fazer escolhas conscientes”, lembrou.

Ao final, Lis Soboll afirmou que a sociedade de hoje quer liberdade sem responsabilidade. “São relações vazias. A internet é um espelho de si mesma, superficial”, disse. E ainda provocou os participantes a pensarem sobre o assunto: “Vocês têm cuidado dos recursos de vida, como dinheiro, afeto e saúde? O quanto nos dedicamos a cada uma dessas áreas revela muito sobre o que é de fato importante para as nossas vidas”. A palestrante encerrou sua apresentação com a seguinte frase: “Você faz as escolhas e elas fazem você”, concluiu.

Depois do intervalo, os participantes do Encontro Institucional se dividiram em dois grupos para um workshop sobre o mesmo tema da palestra, com a facilitação da empresa Mirá Design de Ideias. Nesta quinta-feira (9), as atividades do evento continuam com mais palestras e workshops, sobre a “centralidade das relações para um trabalho com sentido” e “minhas relações, minha responsabilidade”, também conduzidos pela professora Lis Soboll.

Fonte: NUCOM (Bianca Nascimento)

Curso sobre funcionalidades da versão 2.x do PJe

A Escola Judicial do TRT10 realizará, no período de 8 a 24 de maio, turmas para o curso “As Funcionalidades da Versão 2.X (KZ) do Sistema Processo Judicial Eletrônico - PJe” para servidores e magistrados do TRT10 do DF e do Tocantins.

O curso objetiva capacitar magistrados e servidores, usuários internos do Sistema PJe, de 1º e 2º graus, no novo painel KZ e nas diversas funcionalidades do sistema, bem como no devido controle de pendências processuais.

O conteúdo programático abordará temáticas como apresentação do painel KZ, as novas tarefas  disponíveis na versão, edição, particularidades e preparo dos diversos expedientes, além de conhecimento e pesquisa em abas de audiência, entre outros temas, conforme o Plano de Curso.

A instrutoria do curso ficará a cargo dos servidores do TRT10 Teresa Cristina Guedes Sampaio Trotta e Flávio Antônio Castro de Medeiros Lula, da equipe de negócios do PJe.

Estão sendo ofertadas 13 turmas para públicos específicos. Confira no link abaixo o cronograma das turmas.

O curso tem validade para Adicional de Qualificação e Promoção e as aulas serão realizadas nos Laboratórios de Informática do Prédio da EJUD10 e no Foro Trabalhista de Brasília.

A turma para servidores do Tocantins ocorreu nesta quarta-feira, 8 de maio.

As inscrições já estão abertas no Portal da EJUD10 no link https://escolajudicial.trt10.jus.br/index.php/eventos/meus-eventos.html .

 

Confira o Plano de Curso e o Cronograma das Turmas

Encontro Institucional dos Magistrados começa nesta semana

A Escola Judicial do TRT10 realiza, a partir da próxima quarta-feira, 8 de maio, no Prédio da EJUD10, o Encontro Institucional de Magistrados do TRT da 10ª Região.

A edição 2019 do Encontro objetiva propiciar reflexão acerca dos impactos da utilização das mídias sociais pelos magistrados e os cuidados necessários nos relacionamentos interpessoais e nas redes humanas de relacionamento. Estes temas serão trabalhados em palestras e workshops.

Entre os profissionais convidados para proferirem palestras estão o Ministro do TST Aloysio Corrêa da Veiga,  a Professora Doutrora da Universidade Federal do Paraná - Lis Andrea Soboll,  o Diretor-Executivo do Instituto de Tecnologia e Sociedade do Rio - Fabro Steibel, a Professora Doutora da Universidade de Brasília - Ana de Oliveira Frazão  e o Jornalista do Grupo Globo de Comunicações - Heraldo Pereira de Carvalho.

No decorrer do Encontro serão realizadas a aposição do retrato do Desembargador Brasilino Santos Ramos na Galeria dos Diretores da Escola Judicial e a posse da Juíza Sandra Nara Bernardo Silva como Diretora do Foro Trabalhista de Araguaína/TO.

O evento é direcionados aos magistrados do TRT10 e seus respectivos Assessores e Diretores

O Encontro será realizado nos dias 8, 9 e 10 de maio, no horário das 8h30 às 18h, nas dependências da Escola Judicial do TRT10, SGAN 916 - Lote A2 - Asa Norte.

United Kingdom Bookmaker CBETTING claim Paddy Power Bonus from link.