Pesquisa Avançada

Notícias

Curso da Gas inicia na próxima segunda-feira, 26 de junho

Os participantes da 1ª Turma do curso de Reciclagem Anual (GAS 2017) devem ficar atentos às  alterações nos locais onde serão ministradas as aulas e oficinas e o teste físico.

Com a finalidade de oferecer comodidade e fácil acesso aos participantes, as aulas e oficinas dos dias 26, 27, 28 e 29 de junho, serão realizadas no Auditório da EJUD10, SGAN 916 Lote A2 - Asa Norte. Já o teste físico terá lugar no Centro de Capacitação Física do Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal, Setor Policial Sul.

A Escola destaca que o treinamento faz parte do Programa de  capacitação anual dos agentes de segurança judiciária que visa atender as determinações legais no que tange à percepção da Gratificação de Atividade de Segurança e propiciar constante aprimoramento das competências necessárias para atuação na área de Segurança, de forma a propiciar um ambiente institucional que permita aos Magistrados e Servidores o desenvolvimento de suas funções de forma independente e imparcial.

O curso terá início na próxima segunda-feira, 26 de junho, pontualmente às 8h, com a abertura do evento e os pronunciamentos a serem feitos pela Vice-Presidente do TRT10, Desembargadora Maria Regina, pelo Diretor da Escola Judicial, Desembargador Brasilino Santos Ramos e pelo Chefe da Seção de Segurança, Gustavo Batista Nogueira.

Logo após será realizada a Oficina de Prática de Técnicas de Evacuação com a servidora Liziane Beatriz de Araújo Brauner, da Seção de Segurança do TRT10, onde serão apresentadas ações de prevenção, procedimentos em situação de emergência, treinamento teórico e prático para evacuação total da edificação e controle de pânico, entre outros assuntos.

O curso de Reciclagem Anual contará com carga horária de 30 h/a distribuídas nas aulas e oficinas e 4 h/a nos testes de condicionamento físico. Confira abaixo a programação do curso.

Programação

Curso EAD - Argumentação Jurídica

A Escola Judicial comunica que já estão disponíveis no Portal da EJUD10 as inscrições para o curso Argumentação Jurídica, que será realizado na modalidade a distância no período de 10 de julho a 18 de agosto de 2017, no Ambiente de Aprendizagem Virtual - AVA.

O curso, do Instituto Educere,  visa capacitar os participantes para a produção de textos com lógica, coerência e argumentação, com metodologia que privilegia a interação do aluno com o professor por meio de um ambiente virtual e com participação e acompanhamento do professor-tutor que, durante todo o curso, manterá contato para tirar dúvidas, propor exercícios e resolver possíveis dificuldades.

O instrutor será o Professor Marcelo Paiva que coordena cursos de pós-graduação de   Português Jurídico, Língua Portuguesa, Linguística e Revisão de Texto. É autor de 46 livros sobre o uso adequado de nosso idioma em especializações relacionadas principalmente à atividade institucional. Paiva ainda ministra cursos e  presta consultoria a diversos órgãos públicos.

São 40 h/a válidas para Adicional de Qualificação com abordagem de temas como os conceitos de Lógica, argumentos e técnicas de argumentação, estrutura textual e argumentação em textos técnicos. Além do conteúdo presente no ambiente virtual, o aluno receberá material didático impresso.

A Escola Judicial está disponibilizando 50 vagas  para os servidores do TRT10 que poderão fazer sua inscrição até o dia 05 de julho pelo Portal da EJUD10 no link 

https://escolajudicial.trt10.jus.br/index.php/eventos/meus-eventos.html

Curso EAD-Novo Acordo Ortográfico

Estão abertas no Portal da Escola Judicial as inscrições para o curso Novo Acordo Ortográfico que será realizado, na modalidade a distância, no período de 10 a 21 de julho de 2017.

O curso tem carga horária de 10h/a válidas para Adicional de Qualificação para Servidores e Promoção para Magistrados  e ocorrerá no ambiente virtual de aprendizagem da Escola Judicial (AVA). O treinamento é autoinstrucional e contará com o apoio da equipe da Seção de Educação a Distância da EJUD10 por meio do email Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

O conteúdo programático abordará temas como as razões que geraram o novo acordo, as novidades no alfabeto, o trema, as mudanças na acentuação e no emprego do hífen.

São oferecidas 100 vagas e as inscrições se encerram no próximo dia 07 de julho. Para mais informações acesse o Portal da Escola Judicial no link:
https://escolajudicial.trt10.jus.br/index.php/eventos/meus-eventos.html

Oficiais de Justiça se reúnem em Brasília para debater eficiência, segurança e qualidade de vida

Oficiais de Justiça - Avaliadores Federais – do Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região (TRT-10), do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT), do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1) e de mais 15 TRTs estão reunidos em Brasília, nesta terça (20) e quarta-feira (21), na sede da Escola Judicial (EJUD), para debater temas que visam a busca da eficiência, da segurança e da qualidade de vida destes profissionais. É o IV Encontro de Oficiais de Justiça - Avaliador Federal - do TRT-10, que pela primeira vez acontece nas dependências da Escola, na 916 norte.

É preciso ter um tempo para se reunir, principalmente para se conectar, se agrupar para discutir, para buscar aperfeiçoar o trabalho, para conhecer outras pessoas e outras iniciativas, frisou na abertura do evento o presidente do TRT-10, desembargador Pedro Luís Vicentin Foltran. O presidente do Regional disse ter noção da dificuldade que é atuar como Oficial de Justiça e destacou a importância do trabalho desses profissionais – que nas palavras do desembargador é a cara da Instituição que está na rua, o braço do Judiciário que está fora do Tribunal.

O diretor da EJUD, desembargador Brasilino Santos Ramos, deu as boas-vindas aos participantes do encontro, em nome da escola, e disse que o evento é a oportunidade que se tem para a troca de ideias, para que se possa compartilhar problemas e também soluções já encontradas. Já o diretor do Foro Trabalhista de Brasília, Luiz Fausto Marinho de Medeiros, salientou a importância da participação de oficiais de vários estados do Brasil no evento. Ele revelou, ainda, sua satisfação ao ver que o encontro de Oficiais de Justiça chega à sua 4ª edição, já incorporado ao calendário da Escola Judicial.

Lúcia Pinheiro de Carvalho, presidente da Associação dos Oficiais de Justiça – Avaliadores do TRT-10, ressaltou que o evento é uma verdadeira oportunidade para os profissionais aprenderem um pouco mais sobre suas atividades do dia a dia, e lembrou que os encontros costumam ser muito produtivos e proveitosos para a categoria. O chefe do Núcleo de Mandados Judiciais do TRT-10, Luiz Antonio dos Santos, concordou com a colega. Para ele,trata-se de uma ótima oportunidade para compartilhar ideias, principalmente podendo contar com a presença de colegas de outros estados.

Programação

Na manhã desta terça, a secretária de Gestão de Pessoas do TRT-10, Rosemary Domingues Wargas, comandou a primeira oficina de trabalho do encontro, intitulada “Quem canta, os maus mandados espanta”. Na sequência, já no período da tarde, acontece a oficina de trabalho “Boas práticas no cumprimento de diligências especiais”, tendo como facilitadora a juíza Noêmia Aparecida Garcia Porto, do TRT-10.

Na quarta-feira, serão realizadas, pela manhã, as palestras “Eu sei o que você está pensando!”,  com o professor Luiz Paulo Orelli Bernardi, mestre em Programação Neurolinguística pela Sociedade Brasileira de Programação Neurolinguística, e “Crimes rotineiros durante diligências judiciais e providências a serem adotadas pelo Oficial de Justiça”, pelo delegado da Polícia Federal Rodrigo Carneiro Gomes. No período da tarde, acontece a palestra “Alterações do Código de Processo Civil relacionadas às atribuições dos Oficiais de Justiça”, a ser proferida pelo ministro Douglas Alencar Rodrigues, do Tribunal Superior do Trabalho (TST).

(Mauro Burlamaqui) - NUCOM

IV ENCONTRO DE OFICIAIS DE JUSTIÇA AVALIADOR FEDERAL DO TRT DA 10ª REGIÃO

Começa nesta terça-feira, 20 de junho, às 9h30, no Auditório da EJUD10 - SGAN 916 Norte, o IV ENCONTRO DE OFICIAIS DE JUSTIÇA AVALIADOR FEDERAL DO TRT DA 10ª REGIÃO.

O evento congregará os Oficiais de Justiça Avaliadores Federais do TRT 10, do TJDFT, do TRF da 1ª Região e de mais 15 outros TRTs em torno de temas que visam a busca da eficiência, da segurança e da qualidade de vida destes profissionais.

O encontro terá duração de 2 dias, 20 e 21 de junho de 2017, e contará com Oficinas e Palestras abertas ao debate, dentre as quais a Oficina de Trabalho “Boas Práticas no cumprimento de diligências especiais”, tendo como facilitadora a Juíza do TRT10, Noêmia Aparecida Garcia, e a Palestra “Eu sei o que você está pensando!” com o Professor Luiz Paulo Orelli Bernardi, Mestre em Programação Neurolinguística pela Sociedade Brasileira de Programação Neurolinguística.

A expectativa é de 80 participantes. Confira aqui a programação.

Projeto Boas-Vindas 2017 inicia em julho

A Escola Judicial já definiu as datas de 5 a 13 de julho de 2017 para a realização do Projeto Boas-Vindas - Etapa 1:  Ambientação e Etapa 2: Fluxo do Processo do Trabalho aplicado ao Pje - 1º Grau, dirigido aos servidores que ingressaram no TRT10 a partir de 4 de novembro de 2016.

A Presidência do TRT10 e a Diretoria da Escola Judicial comunicarão aos  Gestores das Unidades e aos servidores sobre a convocação para a participação obrigatória em ambos os cursos.

O Curso de Ambientação, com carga horária de 18 h/a, ocorrerá nos dias 5, 6 e 7 de julho de 2017, no Auditório da Escola Judicial. A expectativa é de 48 servidores participantes, dentre os quais, 5 que estão sendo reconvocados em virtude de faltas justificadas na última edição do Projeto Boas-Vindas.

As novidades do Ambientação neste ano ficam por conta de cursos e palestras abordando a importância da Visão Sistêmica do TRT10, ética e as ferramentas de comunicação institucional e de e-Gestão e o programa de Formação Compartilhada e Continuada.

Nos dias 5 e 6,  a Professora Verônica Korilio, do Instituto Sagres, ministrará o  curso de Visão Sistêmica e Gestão para Resultados com o objetivo de disseminar o Plano Estratégico do Tribunal e as ferramentas de gestão estratégicas utilizadas. Entre os temas a serem apresentados estão o que é Visão e Pensamento Sistêmico no âmbito do Tribunal, o TRT10 como organismo vivo e o Ser Humano na organização - habilidades e competências técnicas e comportamentais mais valorizadas.
 
Outros destaques são a Palestra sobre Ética no Serviço Público e a Apresentação de Ferramentas e Sistemas de Comunicação Institucional do TRT10 abrangendo Mídia10, Conecta10 e os Portais.

Considerando a importância da ferramenta e-Gestão para diagnosticar pontos problemáticos na função jurisdicional, facilitando a tomada de decisões e no gerenciamento e serviço da atividade judiciária, a Escola Judicial inseriu também na programação do Ambientação a Apresentação da Ferramenta e-Gestão que encerrará o curso no dia 7 de julho de 2017.

A Etapa 2 -  Fluxo do Processo do Trabalho aplicado ao Pje - 1º Grau, com carga horária de 24 h/a,  é exclusiva para os servidores lotados em gabinetes e Varas do Trabalho. O curso, que ocorrerá no Laboratório de Informática da EJUD10, no período de 10 a 13 de julho de 2017,  dará ênfase à utilização da ferramenta Pje, primordial para a área judiciária.

Confira abaixo a relação dos servidores convocados e reconvocados para a participação nas etapas  do Projeto Boas-Vindas e a programação com as datas, horários e locais da realização dos cursos.

A Escola lembra aos servidores convocados e lotados em Tocantins que  devem solicitar o custeio de passagens, adicional de deslocamento e diárias até o dia 19/06/2017. Para isso, devem anexar solicitação no Processo SEI17.0.000004004-5.

Listagem de convocados

Listagem de reconvocados

Programação da Etapa 1 - Ambientação

Programação da Etapa 2 - Fluxo do Processo do Trabalho Aplicado ao PJE - 1º Grau

Curso EAD - Regência e Crase foi adiado

A Escola Judicial comunica aos servidores inscritos no curso EAD - Regência e Crase que, em função de licença do instrutor, o Professor Wagner Alves, o início do curso foi adiado para o dia 21 de junho de 2017.

O curso, com carga horária de 20 h/a válidas para Adicional de Qualificação, abordará regência nominal, verbal, com pronomes relativos, em orações e paralelismo além da regras principais para o uso da crase.

O treinamento será ministrado na modalidade a distância no Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) no Portal da Escola Judicial. Estão sendo oferecidas 100 vagas para servidores e magistrados. As inscrições podem ser feitas até o dia 19 de junho.

Clique aqui para inscrever-se.

 

Escola Judicial realizará, neste mês, a 1ª Turma do Curso de Reciclagem Anual para Agentes de Segurança - GAS 2017

A Escola Judicial comunica aos Agentes de Segurança do TRT10 que será realizado no período de 26 a 29 de junho de 2017, no horário das 8h às 18h, a 1ªTurma do Curso de Reciclagem Anual para Agentes de Segurança - GAS 2017.

O treinamento tem carga horária de 30 h/a e mais 4 h/a de testes físicos. O conteúdo programático, elaborado em conjunto com o Comitê de Segurança Institucional, contemplará temas como Defesa Pessoal, Primeiros Socorros, atualização quanto às normas e procedimentos aplicados à segurança institucional e teste de condicionamento físico, entre outros, abordando metodologia prática e teórica.

A Escola lembra aos participantes inscritos na 1ª Turma que entre os pré-requisitos para a efetivação da inscrição estão a entrega dos resultados dos exames médicos no Núcleo de Saúde até o próximo dia 21 de junho, impreterivelmente, e a avaliação médica que declarará a aptidão do servidor para o treinamento.

Entre os instrutores do curso estão os agentes de segurança do TRT10 Wellington Pereira, Liziane Brauner, Carlos Amorim, Eduardo Silva, Gustavo Moura e Gilberto Clemente.

As aulas serão ministradas na Sala de Treinamento da EJUD10, no Auditório Oswaldo Florêncio Neme - Ed. Sede e o teste físico ocorrerá no Centro de Capacitação Física da Polícia Militar do Distrito Federal- CCF/PMDF, Setor Policial Sul- Brasília-DF. A grade horária completa e os locais de treinamento, bem como demais orientações para os participantes estão disponíveis no Plano de Curso.

Clique aqui para imprimir a programação da Turma 1.

Escola Judicial oferece novo curso: Regência e Crase

Regência e Crase, esse é o novo curso que a Escola Judicial está oferecendo na área de Língua Portuguesa para magistrados e servidores do TRT10.

 

O curso possui carga horária de 20 h/a, válidas para Adicional de Qualificação, e será ministrado na modalidade a distância, no Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) no Portal da Escola Judicial. Seu objetivo é aprimorar os conhecimentos de magistrados e servidores no que se refere à regência e ao uso da crase na construção de textos administrativos e jurídicos produzidos no âmbito do TRT da 10.ª Região.

 

O conteúdo programático apresenta os seguintes tópicos:

Regência
1. Regência nominal
2. Regência verbal
2.1. Verbos cuja regência interfere no sentido
2.2. Verbos cuja regência gera dúvidas
2.3. Verbos com dois complementos
2.4. Regência com dois verbos
2.5. Regência com pronomes relativos
3. Regência com orações
4. Regência e paralelismo

Crase
1. Regra única de crase
2. Método prático
3. Método analítico
4. Casos de crase fixa
5. Casos de crase facultativa
6. Casos particulares de crase
7. Particularidades semânticas do emprego da crase

Trata-se de curso autoinstrucional elaborado e apresentado pelo servidor Wagner Alves de Sousa, especialista em Revisão de Texto e já conhecido por ministrar outros cursos na área de Língua Portuguesa no âmbito do Tribunal.

“Regência e crase são assuntos intimamente ligados. Na prática, o que de fato representa ‘pedra no sapato’ da maioria das pessoas é a crase; contudo, o pressuposto para a construção de conhecimento seguro sobre a crase é o domínio da regência, sobretudo no que diz respeito ao emprego da preposição ‘a’” – afirma o servidor.

No curso, o professor enfatizará a forma correta de utilização da regência, com apontamentos importantes sobretudo acerca de verbos que são objeto de enganos e erros na construção dos textos administrativos e jurídicos. Além disso, apresentará o uso do acento grave mediante regra única que norteia o fenômeno da crase.

No ambiente virtual de aprendizagem, estarão disponíveis a parte teórica do curso, com textos associados aos assuntos em si, com muitos exemplos de frases e textos de linguagem administrativa e jurídica produzidos por diversos órgãos públicos, além das videoaulas de todos os assuntos.

“Assim como ocorreu nos cursos anteriores, o aluno terá à sua disposição não só o conteúdo teórico, no próprio ambiente AVA, mas também aquivos no formato pdf desses assuntos, caso ele queira baixar ou imprimir, e ainda as videoaulas. Além disso, haverá blocos de exercícios de aprendizagem, que trazem questões um pouco mais simples, exercícios de aprofundamento, mais complexos, e finalmente as avaliações com textos bem próximos da realidade linguística da Administração” – complementou o elaborador.

O curso será realizado no período de 12 de junho a 7 de julho de 2017, e são oferecidas 100 vagas. Os interessados devem fazer a inscrição no Portal da Escola Judicial no link https://escolajudicial.trt10.jus.br/index.php/eventos/meus-eventos.html até o dia 9 de junho.

EJUD10 oferecerá Oficina Prática: Metodologia de Desdobramento

A Escola Judicial promoverá nos dias 6 e 7 de junho, no horário das 8h30 às 12h30, a Oficina Prática: Metodologia de Desdobramentos de Planos de Ação, atividade para formar equipes técnicas para acompanhar a execução dos Planos de Ação que foram elaborados pelas unidades jurisdicionais de 1º grau no Encontro Institucional de Magistrados do TRT da 10ª Região, ano 2017.

A oficina será ministrada pelos Professores Maria Verônica Korilio Campos e Raul José de Abreu Sturari, da empresa SAGRES - Política e Gestão Estratégica Aplicada, e abordará os seguintes temas: apresentação e discussão de todos os Instrumentos de Desdobramento, do nível estratégico para o tático e deste para o operacional; realização de eventuais ajustes ou adequações para a realidade e especificidade do TRT10; repasse de instrumentos elaborados pelo Instituto Sagres; elaboração de um modelo piloto a partir de um ou mais Objetivos Estratégicos, a depender do desempenho dos participantes, promovendo, inclusive as integração com as 6 questões ou desafios prioritários que estão sendo identificados e priorizados no âmbito do Tribunal e consolidação dos instrumentos elaborados para serem utilizados como exemplo/subsídio para outros eventos que se façam necessários pela Instituição.

A capacitação tem carga horária de 8h/a com validade para Adicional de Qualificação e são disponibilizadas 20 vagas exclusivas para os Servidores do Distrito Federal das unidades responsáveis pelo acompanhamento da execução dos Planos de Ação que foram elaborados durante o Encontro Institucional de Magistrados do TRT da 10ª Região.

A oficina será realizada na Sala de Treinamento da EJUD10, no Prédio de Apoio, SGAN 916 Lote A2. Mais informações podem ser obtidas pelo ramal 1876 com o servidor João Batista.

Magistrado fala sobre reforma da Previdência para magistrados e servidores do TRT-10

Magistrados e servidores do Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região (TRT-10) tiveram a oportunidade de conhecer com maior profundidade as propostas de Reforma da Previdência que tramitam no Congresso Nacional (PEC 287/2016), com a palestra do juiz Carlos Alberto Pereira de Castro, que falou sobre as repercussões da reforma, se aprovada, na carreira dos servidores públicos. O evento aconteceu na manhã desta sexta-feira (26), na sede da Escola Judicial da 10ª Região.

O magistrado, titular da 7ª Vara do Trabalho de Florianópolis (SC), professor e doutorando em ciências jurídicas, além de autor de obras sobre direito previdenciário, iniciou sua palestra defendendo que, em muitos casos, determinadas reformas são necessárias, de tempos em tempos. Ninguém imagina que o sistema vai permanecer com as mesmas regras por décadas. No entanto, duas questões devem ser levadas em conta para se levar adiante essas reformas, ressaltou o juiz. Uma envolve a forma e os procedimentos para a realização dessas reformas. É preciso um estudo aprofundado, uma análise para que se possa produzir alteração com grande magnitude com reflexos diretos em uma área social. E a outra diz respeito ao conteúdo, ou o que se deve reformar, alterar.

E, nesse sentido, o magistrado disse entender que a proposta de reforma da Previdência que tramita no Congresso peca, porque se baseia basicamente em aspectos econômicos. “Não podemos deixar a economia ser o motor de reformas sociais”, salientou, afirmando entender que se busca, com essa proposta, corrigir a dívida pública global, e não só da previdência, com a redução de direitos sociais.

De acordo com o magistrado, aposentadoria e pensão são direitos fundamentais humanos. Não se pode brincar, com eles, não se pode fazer de forma açodada, e muito menos se pode fazer apenas com base em estudos econômicos. “Lidamos com vidas, e não com números, e nessa escala os números não tem tanta importância”. Primeiro temos que olhar o ser humano, o cidadão. Falar em reforma da previdência é falar em reforma na vida das pessoas.

O juiz também rebateu o argumento usado de que existe déficit no sistema. Falar em déficit é fácil, difícil é provar. Os recursos da previdência, patrimônio público, foi dilapidado durante décadas. Não se pode falar em déficit da previdência, ressaltou, lembrando que vários especialistas e estudiosos do assunto têm derrubado esse argumento. Nesse sentido, ele lembrou que existe, sim, o problema de enormes dívidas, de milhões ou bilhões de reais, que existem e não são pagas. É preciso ir atrás dos sonegadores, dos inadimplentes. Só depois de fechar essa conta, disse o magistrado, será possível se falar na existência de déficit.

Transição

O magistrado explicou que as regras de transição são criadas porque, tudo vez que surgem novas regras, surgem verdadeiros abismos para os cidadãos que já estão inseridos no regime antes das mudanças. Contudo, salientou, essas regras de transição podem, ou não, ser vantajosas. Nesse ponto, o juiz revelou que cada servidor deve analisar o próprio caso, uma vez que existem regras de transição que não são razoáveis. E, de acordo com o magistrado, até mesmo que já tem direito adquirido à aposentadoria deve ficar atento às reformas em curso.

Na transição que está sendo proposta, o magistrado explicou que será cobrado um pedágio de 30% do tempo que falta. Mas, para poder perceber beneficio com os requisitos da integralidade e da paridade, o servidor dever trabalhar até a idade de 65/62 – previsto na regra geral, deixando de ser uma transição, porque cai novamente na regra geral. Assim, resumiu o juiz, em alguns casos, como esse, as regras de transição não são factíveis.

Além disso, o magistrado frisou que até mesmo a aposentadoria por invalidez é algo que deve preocupar o servidor. Como estamos vivendo mais e trabalhando até idades mais avançadas, a aposentadoria por invalidez tende a aumentar, porque aumenta a possibilidade de surgirem doenças antes que o servidor possa ser aposentar por tempo de serviço, explicou.

Ao concluir sua palestra, o magistrado disse que os servidores precisam se unir para lutar por seus direitos e pelos direitos dos aposentados, pela manutenção de um sistema de proteção social digno. Não podemos ficar parados, e conviver com esse fatiamento, como se os servidores fossem os vilões, responsáveis pelo problema do sistema da previdência.

Abertura

Ao dar início ao evento, o desembargador Brasilino Santos Ramos, diretor da Escola Judicial da 10ª Região, agradeceu a vinda do juiz, extremamente significativa diante do momento político vivido, um dos mais graves da história do país. Momentos de incerteza e apreensão, principalmente diante das reformas em debate no momento, que no entender do desembargador parecem ter intuito de punir a sociedade, punir os desvalidos em prol de um capital especulativo. Dentre essas reformas, salientou o desembargador, sobressaem duas: a trabalhista, que pode ferir de morte a justiça do trabalho, com reflexo em quem necessita do direito do trabalho. E a reforma da previdência, sobre a qual o juiz Carlos Alberto conversou com os servidores e magistrados presentes à palestra, que foi transmitida, ao vivo, para o Estado do Tocantins, abrangido pela Décima Região.

(Mauro Burlamaqui)

Fonte: NUCOM

United Kingdom Bookmaker CBETTING claim Paddy Power Bonus from link.